Oração do dia

Azedume criou habitat

Em meu estômago

Que contrai cada vez

que ouço o grito

sufocado de alguém

O sal escorre de meus olhos

já embaçados

cansados de tanta cegueira

coletiva

Trago os punhos marcados

presos pela corda áspera

da injustiça

Que atiça, remexe, distrata

quem não segue a matilha

Não decorei os verbos dessa cartilha

Sofro calada

Calo da corda vocal estressado

de engolir a seco os desmandos

de quem nem sabe comandar

Quem abriu os portões de Lúcifer?

Quem teve a irresponsabilidade

de evocar?

Agora, nem mesmo ajoelhar e rezar

A ordem do dia é

Fodidus estamus!

8 comentários sobre “Oração do dia

  1. Estava relativamente tranquila. Levemente apreensiva com a sequência mas, acho que esse prolongamento achatou a curva… da minha paciência.
    Vou buscar suporte na arte, ou vou surtar. 😣

    • Te entendo perfeitamente. Estava levando na boa também mas na última semana, confesso que deu bode por aqui. Mas vamos levando com humor e ver até onde dá para esticar a corda. Fique bem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s