Um entre tantos por aí

Ele reinou soberano entre as mulheres. Sempre foi assim e, pelo visto, será até chegar o dia de se aposentar dessa vida. A presença masculina nunca foi o forte em sua existência. É claro, teve pai, irmãos, primos. Contudo, a presença feminina foi marcante em seu dia a dia. A mais forte foi, sem dúvida, sua mãe. Mulher de atitude. Bonita a sua maneira. Não foi mulher de vaidades. Gostava de andar descalça, sentir a terra, esfregar a sola ressecada na canela e assoviar enquanto realizava as atividades do lar. Sempre alegre. Tinha também seus momentos de histeria e nervosismo. Seu marido, ralhava por não manter uma pose de mulher casada e séria. Gargalhando, saía rebolando e sempre respondia:

-Quem quiser falar de mim à vontade, pois quem fala por trás, o cu é quem escuta.

Ele, às escondidas para seu pai não ver, ouvia e saía sorrateiramente para o paiol da casa com um tímido sorriso pela ousadia e vitória de sua mãe. Sua adorada mãe.

A companhia constante dela moldou seu espírito simples, trouxe-lhe doçura e simplicidade. No entanto, seu pai teve um peso imenso e o engessou com orientações religiosas que fizeram dele, eterno infeliz. Amedrontado pelas idéias de pecado e tormentos no inferno, não ousou sentir prazeres.

Trabalhar, trabalhar e trabalhar sem se perder em coisas materiais. Esse foi o lema assumido e seguiu sem refletir se era o certo. Tinha de ser afinal, seu pai rezou por essa cartilha também!

Transformou sua existência num grande discurso de amor ao próximo. Todavia, foi incapaz de tolerar as diversidades na própria família. Que ironia!

Não permitiu se apaixonar. Cerziu o coração para o amor de uma mulher. Tão pouco deixou fresta para um amor homossexual. Deus castiga!

A vida passou, a juventude também. A maturidade trouxe o endurecimento das articulações e de seu coração.

Não casou, não teve filhos, não cultivou amigos e os poucos que fez, morreram.

A solidão é sua companheira constante. É ela que lhe faz companhia da hora que acorda a hora que cerra novamente os olhos numa fuga insana para o mundo dos sonhos. De onde não deseja mais regressar.

Imagem licenciada: Shutterstock

3 comentários sobre “Um entre tantos por aí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s