Desafio de Fevereiro – Decifre a equação

Mês de fevereiro iniciando com a aceitação de um desafio lançado por nossa editora Lunna Guedes, da Scenarium Livros Artesanais.

Posso discorrer sobre o cenário externo, descrevendo paisagens naturais ou urbanas ou, mergulhar fundo nas crateras internas das emoções, sentimentos que todos carregam durante suas vidas. Garanto que se mostram paisagens únicas onde fazemos surgir cavernas, labirintos, mares profundos onde muitas vezes, não temos coragem de entrar e permanecer. Criamos cenários áridos, estáticos, sem uma brisa para acalentar tamanha falta de algo que torne nossa existência menos amarga. As personagens dessa obra são exemplos desses cenários íntimos, por vezes, perturbadores. Contudo, suas histórias não contam apenas situações tingidas por melancolia e tristezas afinal, a vida não é somente isso. Somos uma somatória de movimentos onde a cada instante, estamos numa casa. Ora dominamos, ora somos dominados e por fim, a vida nos dá um xeque-mate.

Esses trechos fazem parte do meu livro Equação Infinda, livro artesanal lançado pela Scenarium Livros Artesanais

 

Imagem: Pinterest

Imagem: Pinterest

Imagem: Pinterest

 

Sim, eu escrevo diário

Comecei com essa brincadeira séria, por volta dos doze para treze anos. Virou febre entre a meninada assim como aqueles questionários que respondíamos e repassávamos.

Tomei gosto. Escrever sobre meu dia e o que acontecia, passou a ser um exercício que me acalmava, dava prazer. Contudo, sempre escrevendo sorrateiramente para que ninguém descobrisse. Nas páginas do caderno que adotei como diário, despejava minhas nuances mais íntimas que não revelava a mais ninguém.

Até que um dia, tornei-me adulta e a vida repleta de responsabilidades, tirou da minha rotina o prazer da escrita. Décadas mais tarde, retornei ao exercício de escrever. Diário nunca mais. Permaneceu no passado.

No início desse ano, recebi a proposta indecente de boa, de Lunna Guedes, para participar do projeto 4 Estações, em forma de diário.

Foi um prazer voltar a esse formato de escrita. Contudo, não escrevi minha rotina. Dei espaço para que três mulheres confiassem em mim e registrasse suas vidas, mazelas, conquistas e perdas. Fui apenas o fio condutor delas nessa história que, em breve se materializa num livro físico: Equação infinda.

Lançamento: 28/11/2020,

Local: Facebook pela página da Scenarium (ao vivo)

Horário:  17h (horário de Brasília).

Imagem licenciada: Shutterstock

Orexia

birdandreareiman.jpg

Mastigo de forma mecânica, meu sanduíche de peito de peru defumado e mussarela, acompanhado de sentimentos extensos de medo, salpicado com pitadas de desconfiança, alguns grânulos de autossabotagem e desilusão. Engulo nacos bem mastigados e deixo descer a seco. Sem coca-cola, nem suco, amaciado pela saliva raivosa de saber-se fraca, humana. Nunca imaginei que ser gente fosse tão sofrido. Se houver uma próxima existência, juro, desejo vir  na leveza de um beija-flor.

Imagem: Stocksnap