BEDA – Retalhos

Em 2009, recebi como cortesia da editora, um livro de HQ e a divulgadora falou maravilhas dessa obra ressaltando que inclusive, havia recebido muitos prêmios. Vencedor de três prêmios Harvey (melhor artista, melhor graphic novel original e melhor cartunista), dois prêmios Eisner (melhor graphic novel e melhor escritor/artista), e em 2005, do prêmuo da crítica da Associação Francesa de Críticos e Jornalistas de Quadrinhos.

Pensei: É… não é pouca coisa! Registrei o livro e coloquei a disposição. Passado algum tempo, ganhei um exemplar e meu sobrinho que nunca lia, pediu emprestado. Comentou comigo que gostou muito mas que deixou-o inquieto. Temática pesada. Vindo dele até estranhei afinal, sempre foi porra louca. Nunca mais vi esse livro de volta a minha estante.

Agora, trabalhando em outra biblioteca, encontro novamente com ele e, precisando catalogar, decidi ler antes. O que seria uma leitura puramente técnica, tornou-se leitura prazerosa, porém, preciso concordar com meu sobrinho pois a tematica é tensa, aborda questões que geram muitas polêmicas.

Relato autobiográfico, aborda a educação religiosa numa família de Wisconsin em meio a muita neve. A formação (ou devo dizer deformação?) religiosa do jovem artista, seus conflitos, a descoberta do amor e as inúmeras encucações sobre o prazer físico que constantemente o atormenta por conta do que sempre ouviu dos pregadores de sua igreja.

Narrado com muita sensibilidade, Retalhos mexeu comigo e me fez refletir sobre as questões abordadas. Daqui para a frente, será um de meus queridinhos e sempre estarei sugerindo sua leitura. Além da história em si, o traçado do autor me agradou: expressivo, ágil, interage com o leitor o tempo inteiro. Mereceu todos os prêmios. E você, já leu?

Esse texto faz parte da blogagem coletiva BEDA Blog Every Day August

Participam comigo:

Claudia Leonardi – Darlene Regina – Lunna Guedes – Mariana Gouveia – Obdulio Ortega Nuñes – Suzana Martins

Publicidade

3 comentários sobre “BEDA – Retalhos

  1. Não li. Deixou-me curioso. Os HQs progrediram muito em temática desde quando era uma leitura obrigatória para quem lia até bula de remédio. Agradeço a indicação, Roseli!

  2. Confesso que atiçou minha curiosidade. Uma das minhas sobrinhas é apaixonada por HQ e já havia me falado sobre esse livro. acho que vou pedir emprestado pra ela. abraço, minha flor ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s