Beda 21 – Poemas musicados

Conheci e passei a admirar poesia tardiamente. E explico: a culpa não foi totalmente minha.

A relação (ou a falta dela) que tive com poesia , foi a mesma que a maioria das pessoas de minha geração em diante teve. Ou seja, quase nula. Na escola, a professora de literatura praticamente pulou esse gênero. Somente quando passamos a conhecer é que gostamos ou não. No caso da poesia, fui me aproximando muito devagar, com  desconfiança. E, quando menos esperei, caí de amores por ela.

Foi através de um amigo que conheci Fernando Pessoa. Foi em sua companhia  – numa viagem a Portugal – que esse encantamento ampliou. Comecei a ler timidamente seus poemas e fui me encantando com o poeta português. Hoje, pra mim ele é uma das grandes referências no gênero..

Ao voltar, passei a folhear os livros de Drummond, Quintana, Cora Coralina, Adélia Prado e, sorrateiramente, me apaixonei. Foi em Lisboa, que também conheci Florbela Espanca.

Quando regressei ao Brasil, fui em busca de livros dela. Li, reli e me reencantei! Seus poemas me tocam fundo. Os de paixão, os de fúria, os de desencantos com a vida, os do final de sua vida. Todos, sem exceção, são belíssimos.

Fiquei ainda mais apaixonada, quando um querido amigo meu, cantor e compositor – também encantado pela obra de Florbela – decidiu fazer um trabalho inteiro baseado em sua obra.

Marcos Assumpção musicou vários poemas de Florbela Espanca em 2009, intitulou A flor de Florbela. É um CD que não canso de ouvir e, todas as vezes, me emociono. Os arranjos são primorosos.

Hoje, limpando os CDs na casa de minha mãe, encontrei esse trabalho e bateu uma saudade imensa – de Lisboa e do Marcos – que perdi contato e nunca mais soube ou ouvi algo novo dele. Que pena, tantos compositores e músicos talentosos se perderem em meio a tanta banalidade que as rádios e TV apresentam como “suprassumo do mundo musical e tendências musicais do momento”. Coloquei o CD e ouvi os poemas musicados, despertando meu lado sensível nessa tarde quente de inverno.

Se ainda não conhece, acesse aqui

Esse texto faz parte do b.e.d.a — blog every day august.

Participam Adriana Aneli — Claudia Leonardi — Darlene Regina – Lunna Guedes – Mariana Gouveia — Obdulio Nuñes Ortega

Imagens: acervo pessoal

4 comentários sobre “Beda 21 – Poemas musicados

  1. Ouvirei-lerei a sua dica, Roseli! Conheci Florbela através de Fagner e depois também a cultivei como uma mulher que vai às últimas consequências de amar, apesar (ou por causa) de sua melancolia. Pessoas, como chamo, uso como uma espécie de guia de referência. Pego um exemplar de seus poemas, abro em alguma página e está lá algo que me diz muito sobre mim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s