B.E.D.A. – Achados e perdidos

Organizando documentos antigos, me reencontrei! Em meio a contas pagas, fotos da equipe da biblioteca, cartão postal recebido de um amigo que conheci em Lisboa e tornei a perdê-lo no tempo e na distância, me reencontrei!

Ao pousar meus olhos na pequena foto em preto e branco, com as bordas oxidadas pelo tempo, me reencontrei!

Rever meus irmãos pequenos, distantes no caleidoscópio da existência, relembrei aquele exato momento e, me reencontrei!

Voltar aquela rua de terra batida, de frente a casa em que nasci e morei boa parte de minha vida, trouxe doces lembranças de uma infância pobre mas rica de fantasia, magia, descobertas.

Chronos, esse Senhor que adora nos testar, pregou uma peça em mim fazendo com que esquecesse quem registrou esse momento para a posteridade.

Mas não me esqueci da euforia do momento. Numa infância sem tecnologias digitais, não era comum posar para fotos; tenho bem poucos registros de meus tempos de criança.

Sem as preocupações com a perfeição de uma boa foto, ninguém se ocupava em fazer poses, bicos ou ajeitar a roupa e os cabelos. Saía de qualquer jeito e era exatamente nisso, que se escondia a beleza do ato: espontaneidade!

Eu – que sempre fui mico -, já gostava de fazer caras e caretas para fotos. Me reencontrei!

Tomada por dores nas articulações, bursite no ombro gritando em Lá Maior, unhas e cabelos enfraquecidos pela ausência dos hormônios, caminhando a passos largos para a terceira idade…Me reencontrei!

De início, chorei calculando quantos passos dei desde essa pose até chegar aqui, onde me encontro. Foi uma longa caminhada.

Passei a calcular quantas experiências, quantas pessoas passaram por minha vida, quantos cursos iniciados, quantos terminados, quantos largados pelo caminho.

Relembrei perdas, lágrimas derramadas, conquistas, reuniões familiares e as muitas risadas d(o)adas.

Uma vida inteira se apresentou – como num rolo de película cinematográfica – jogado ao chão; reconheci cada movimento.

Reencontrar essa foto perdida, foi um presente de um anjo que passou por aqui e decidiu me fazer feliz. Me reencontrei!

Participam dessa blogagem coletiva:

Adriana Aneli – Alê Helga – Claudia Leonardi – Darlene Regina – Lunna Guedes – Mariana Gouveia – Obdulio Ortega

5 comentários sobre “B.E.D.A. – Achados e perdidos

  1. Adoro encontrar fotos perdidas… no domingo ao revirar meu baú, encontrei envelopes e algumas fotos sobreviventes ao incêndio que eu provoquei conscientemente em meio a fúria do pânico dos meus quinze anos. Bom reencontrar-se assim. É uma viagem que vale a pena

  2. Como adoro rever fotos!!! Com a era da tecnologia deixamos de revelar…Sempre me pego a falar, vou revelar, vou montar meu álbum, mas, o senhor vento leva o pensamento para longe, a foto fica perdida em algum lugar do celular até aproxima foto…E o ciclo recomeça…
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s