Exercitando

Vozes abafadas lá fora. Cá dentro, mentes focadas no estudo e em seus smartphones. Sons de páginas viradas. De livros, cadernos e revistas. Meus dedos desgastados de tanto manipular livros, encontram-se ressequidos e enrugados. Mas continuam a virar página a página do livro de Murakami. Romancista como vocação. Sua leitura me leva a um balanço tímido se devo aventurar-me num território tão árido. Devo ser leviana ou totalmente sem noção para me meter nesse meio. Sei de antemão que não serei bem recebida. Muitas críticas hão de cair sobre meus carcomidos ombros de balzaquiana. Caso tivesse bom senso, passaria longe. Recordo da leitura que fiz do livro de Stephen King sobre sua escrita. Lembro também de outros livros lidos: Para ser escritor, de Charles Kiefer, A arte de fazer artes, de Gloria Pondé, Truques da escrita, Howard S. Baker, Escrevendo com a alma, Natalie Goldberg – esse último, tenho grande estima por ele – lido  mais de uma vez. Se aprendi algo? Não sei dizer. Talvez sim. Talvez não. A única certeza que trago – agora de forma consciente – , é que não desejo copiar ninguém. Tenho imensa admiração pela escrita de centenas de escritores no entanto, não quero ser cópia de nenhum deles. Vivo em busca de um estilo próprio. Não almejo estar lado a lado dos grandes. Sou humilde ou talvez relaxada, destituída de um plano de vida literário. Na realidade, sinto-me até mal em pensar-me escritora. Dá a impressão de que estou profanando um espaço sagrado ao qual não faço parte. Sei lá. Paranoia? Quem pode dizer. Falta de comprometimento? Talvez. Preguiça? Com certeza. Insegurança? Todas confessas. Enfim, deixa eu encerrar minhas divagações diante dos alunos estudando aqui na biblioteca. Meus olhos cansados ardem após uma noite não dormida e meu corpo pede descanso. Mais um dia se encerra. Mais uma data no calendário roda e meu desejo de retomar a escrita parece aos poucos adquirir força após um período de inércia. Amanhã tentarei novamente.

7 comentários sobre “Exercitando

  1. O importante é tentar e reconhecer-se nas linhas. É uma delícia quando ao ler algo, nos reconhecemos. São nossas digitais que ali estão. Nossa alma, todo o nosso corpo.
    Encontro você na sua escrita, bebo café na sua presença e viro suas páginas. O que és? Uma pessoa que admiro e tenho o prazer de ler. Me basta

    bacio

  2. Nossa, que leitura leve, ácida, particular e interessante. Todos esses mistos senti ao final destas linhas, me fez até voltar em algumas datas do calendário e lembrar de mim mesma em dias que me pego observando a humanidade e depois divago sobre… Mulher, tu escreve demasiadamente bem demais!!!

    • Nossa, fiquei até mais motivada a voltar a escrever. Obrigada Maria Vitoria. Ando sem vontade de escrever por N motivos mas recebendo uma crítica positiva assim, Caramba! Ainda mais de você que escreve muito bem mesmo! Obrigada!Obrigada!Obrigada!!

      • Oi Rose, que bom que você se motivou a voltar a escrever, sinto falta dos teus escritos, acho você uma mulher que tem uma veia literária muito bem posta. As vezes eu me encontro sem motivação para a escrita também por mais que sempre tenha algo a ser dito. Espero poder te ler mais vezes quando você se sentir pronta para rasurar algumas palavras.

        Tenha um excelente dia!

      • Esses períodos de escassez acredito que todos que escrevem passam por isso né. Por outro lado, estou lendo bastante. Isso também é bom. Obrigada mais uma vez pela força!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s