Dia de festança no céu e na terra

20160903_132014.jpg

Ano de 1968, maio. Mais precisamente dia onze. Ano esse que ficou marcado na história do país e do mundo. Ano de muitas contestações, grandes mudanças de comportamento e cobranças. Enquanto por aqui, estudantes lutavam por melhores condições no ensino e contra uma ditadura que amarrava e amordaçava a liberdade de expressão, na França, a revolta de maio teve como protagonistas, universitários e polícia numa revolta onde imperou a violência. Só para variar. Muitas turbulências na América Latina, Estados Unidos arrasando com o Vietnã. A vida estava uma maravilha! Até parece que não tiramos o pé desse ano de tanta sensação de déjà vu.

No entanto, em plena Maternidade São Paulo, nascia um bebê que marcaria a vida da família que a acolhia. Criança que veio ao mundo sentada e de perninhas moles.

Recebi a chegada desse bebê com alegria achando que havia ganho uma boneca de verdade. Adorava trocar, pentear seus cabelinhos claros e finos feito seda. Da mesma forma que cuidava, tinha uma queda por fazer brincadeiras que a fazia chorar. Tudo só para depois pegá-la no colo e ninar. A vida não foi nada fácil para essa criança. Ela também mostrou-se imbatível diante das adversidades e obstáculos que teve que superar. E superou a todos! Destemida e teimosa. Essa é a perfeita definição para ela. Espírito de heroína, renasceu quantas vezes tornou-se necessário. E sempre se reinventando. Um dos grandes obstáculos em sua vida foi a saúde debilitada. Muitos em seu lugar teriam se entregue à doença e perecido pelo caminho. Não ela. Como uma cientista curiosa, teve seu olhar para a doença com sede de conhecer para combater. E assim, vem se superando a cada investida. Alma de artista, o traço sempre foi extensão de suas mãos talentosas. A arte sempre resgatando-a da doença. Amparando-a nos momentos de dor. Como Frida, transformou sua dor em amor ao próximo e as artes. Feito Khalo, imprime nas telas sua resistência.Incompreendida por muitos, admirada por outros tantos, segue sua vida acreditando no ser humano. E olha que esses humanos aprontaram muito com ela. Muitas pessoas abusaram de sua boa vontade e ingenuidade.

Mas ela segue seu caminho deixando-os de lado, não guardando mágoas nem rancor. Sabe que cada um colhe o que planta. Hoje, a mulher que amadurece mas não perde a ternura da menina, tornou-se motorizada. Anda pela cidade de cadeira elétrica. As rodas tornaram-se extensão de suas pernas. Destemida, não pára diante das mazelas que a cidade – despreparada para recebê-la, lhe apresenta. Com dificuldades, formou-se em Artes Visuais. Apenas um certificado para representar sua arte e talento que dispensa qualquer qualificação. De irmã mais velha, tornei-me sua melhor amiga. Somos grandes parceiras de vida. Somos confidentes e fortaleza uma da outra.

Irmã caçula, filha de coração, companheira de uma vida. Hoje é seu dia de abrir o coração para o Universo e agradecer por tudo e por todos que atravessaram seu caminho. Todos contribuíram para o que você é hoje. Essa é minha homenagem a você menina/mulher/guerreira, por fazer meus dias terem um colorido especial.

Feliz aniversário irmã!

roseli e lirio peteleco

Anúncios

2 comentários sobre “Dia de festança no céu e na terra

  1. Gosto de perceber os anos nas linhas das histórias de cada um de nós. É como ler um livro.
    E que esse livro ainda tenha muitas páginas e muitas histórias a contar.

    bacio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s