Ser humano: REFORMULAR!

evolucao

Ando com tantos sapos engasgados formando fila indiana que, sinceramente, não sei como ainda não morri sufocada. Tenho cá para mim que a vida é algo fácil de se viver. O que a complica são as pessoas que povoam esse planeta. Vai discordar? Tudo bem, está no seu direito, contudo, por aqui ainda mando eu e se digo que são as pessoas que complicam, são elas e ponto!

O panorama geral de nosso país está uma fossa a céu aberto. Existem aqueles que cagam legal e outros que arrotam que é uma maravilha. Quando penso que já vi e ouvi de tudo, eis que surge do nada, alguém com alguma pérola que me faz repensar tudo o que havia estabelecido como norma de vida. Luto para não me deixar levar por essa nuvem negra que assola todo território nacional: pessimismo alimentado por grossas fatias de ódio, preconceito, discriminação,com algumas pitadas de moral e como sobremesa, taça cheia de hipocrisia. Haja estômago!

Falsidade alastra-se como Barba de Bode. Grosseria se espalha mais que Maria Sem-Vergonha. Em meio a tantas ervas daninhas a contaminar tudo, ficamos à mercê da boa vontade que míngua pouco a pouco.

Somos diariamente bombardeados por notícias ruins e isso faz com que percamos a confiança em todos que nos rodeiam. Já constatei muita gente em quem confiava como verdadeiros amigos ou, colegas que, na primeira oportunidade, cravaram um punhal em minha costa. Sobrevivi porque tenho o couro curtido.

Outro dia, estava tão decepcionada com as pessoas que à noite, tive um lero com Deus onde fiz minha combinação para uma próxima existência: SE houver reencarnação, por favor, por favorzinho, faça-me nascer uma planta qualquer. Nem bicho quero vir. Desejo brotar mansamente no meio do matagal ou num pântano. Desabrochar, se possível, dar alguma flor perfumada que embeleze a natureza, conclua silenciosamente meu ciclo de vida e volte para a terra em forma de adubo. E assim, incessantemente até os finais dos tempos.

Haviam me dito que nascer humano seria o supra sumo da evolução nesse planetinha. Báh! Que mentira mais cabeluda! Estou para conhecer raça mais podre que essa! Escreve aí em seu caderninho de anotação Criador: Ser Humano: REFORMULAR!

P.S.: O que salva, é que ainda restam alguns sobreviventes que tornam essa nossa existência algo prazeroso em meio a tanta coisa ruim. Agradeço a essas almas do bem, a chance de tê-las ao meu redor. Obrigada!

Imagem: Google

Narkissos.. Que isso meo!

narciso

Ao contrário da maioria das mulheres, detesto homem grude. Tudo em excesso cansa, desgosta, dá enjoo. Outro defeito (ou qualidade, aí depende do ponto de vista de cada um) que me irrita, é o cara que se acha o “Sedutor”. São tão previsíveis! E isso me dá uma canseira que nem te conto. Existe também aquele que só tem olhos para seu reflexo. O famoso “Narciso”. Personagem da mitologia grega que – fiquei sabendo da essência de seu nome há pouco. Aliás, muito apropriado. Explico:

Do grego Narkissos, que significa “aquele que foi narcotizado, paralisado”. A planta que leva esse nome tem propriedades reais de um narcótico. Segundo alguns estudiosos, mais potente que a papoula.

Deixando de lado a aula, retorno para minha linha de pensamento sobre os tais Narcisos.

São homens absurdamente lindos, bem cuidados, porém, incapazes de enxergar a mulher à sua frente pois seus olhos só conseguem apreciar e se apaixonar por seus próprios reflexos . E como gostam de um espelho!

Basta passar certo tempo nas academias para se ver dezenas deles. E a mulherada se esmerando em desfilar bundas e peitos empinados diante deles, que jamais verão beleza a não ser no próprio reflexo. Já repararam que esses homens estão sempre solitários? Até que alguns tentam bancar o sedutor com as mulheres mas, no fundo, o que eles gostariam mesmo é de poder transar consigo mesmo. E muitos devem bater punheta direto no silêncio de seus quartos. E devem gozar litros de fluídos afinal, o prazer está sempre na própria companhia…

…”Oi Gata!” – Homens aprendam: isso para uma mulher mais instruída e consciente de si soa quase como uma ofensa. Vá por mim!

…”Oi princesa!” – Essa cantada então, piorou. Já passei da idade de crer em contos de fadas queridão!

E o cara que se acha irresistível mas burro feito…sei lá o quê? Filhão, deixa eu te situar: mulher moderna, estudada , antenada, quer tudo menos um cara que fala errado (não tem nada mais broxante. Ou então aquele que só abre a boca para falar de futebol, carros ou política. Nada contra mas… Só isso? Não basta músculos desenvolvidos se o músculo principal (o cérebro) é menor que uma ervilha.

O pior, é que sempre fui imã para esses tipos. Tudo bem que eu não sou nenhuma santa. Muitas vezes dou corda para que o mesmo se enforque. Adoro acompanhar seus passos previsíveis. Já sei o final e isso torna a situação morna, sem perspectivas de algo que surpreenda. Tá legal, confesso: sou um pouco sacana em agir assim. Dependendo do cara, até dispenso de imediato. Para poupar o tempo dele e o meu. Mas as vezes…Divirto-me a beça. Chego a me sentir uma grande enxadrista manipulando meu opositor já antevendo suas jogadas. E no final, Xeque-mate! Dou um bota fora dos bons.

Mas querem saber de uma coisa? Apesar de todos esses tipos, ainda não perdi fé no sexo oposto. Gosto um tantão deles viu? E como a esperança é a última a sair e cerrar as cortinas, ainda aguardo a chance de conhecer um homem pra valer que me faça pensar que… “Ah, esse vale a pena!”

Imagem: Google

Antes de ontem… Antes de amanhã… Antes de hoje… Antes de mim… Depois!

piao

Outrora, já fiz muitos planos: estudar, trabalhar, viajar, namorar… Casar? Não. Casar nunca. Mas, entrava ano, saía ano, estava lá eu, a traçar planos vindouros. Imaginação trabalhava de forma insana prevendo o que estaria por vir. A expectativa diante do que poderia surgir num futuro causava-me úlceras.

Hoje não é que perdi a capacidade de sonhar, apenas transformei os sonhos e sua posição em minha vida. Também não desiludi ou frustrei. Plantei bem firme meus dois pés no chão. Tratei de deixar os sonhos se transformarem em belas histórias. Em literatura.

Não. Talvez nem isso. Ao contrário da maioria de escritores que conheço, não batalho para firmar meu nome, me fazer conhecida, almejar prêmios. Não tenho interesse em competir com ninguém. Nunca tive espírito de atleta. Confesso aqui e agora pra vocês: ok! Sou preguiçosa! Adepta da filosofia de De Masi, curto um bom ócio sem peso na consciência.
Mas a vida nem sempre colabora com nossos gostos pessoais e então, nos puxa para a realidade e nos faz rodar feito pião maluco girando no centro de uma mesa lisa lustrada por Poliflor.

Fim de ano chegou, passou. Ano novo surgiu com nuances de coisa nova. Mês de janeiro passou numa velocidade da luz e eu, continuei esse mesmo pião maluco rodando abestalhada sem saber onde estacionar. Muitas coisas aconteceram.

Quase não li a não ser um pouco de contos do livro de Neil Gaiman Alerta de Risco e um livro trocado com a amiga Lunna Guedes, do francês Roger-Pol  Droit, Se só me restasse uma hora de vida.

Um pouco de filosofia francesa para me sacudir e tentar colocar em prática essa frase em meu dia a dia. Decidi entrar em fevereiro como se só me restasse ele para fazer algo significativo para a posteridade.

Depois de muito refletir sobre tudo o que li nesse livro, decidi parar por aqui mesmo e não planejar nada.

Deixa o fluxo de vida seguir livremente! Quero envelhecer de forma natural. Sei que minhas juntas já começaram a enrijecer e, previdente, reiniciei minhas aulas de pilates. Contudo, meu maior desejo é manter flexível minha alma. Essa não quero jamais embrutecer.

Que venha fevereiro trazendo o molejo do carnaval e a doce esperança de dias melhores. Mesmo diante de tanta tempestade.

 

Essa postagem faz parte de uma blogagem coletiva promovida por Lunna Guedes

 

Imagem: Sapo