Dieta certeira

Woman Drinking With Cat

Maria das Dores Eterno, mais conhecida como Dorinha, desde que se conhecia por gente vivia em dietas. A partir dos dezoito anos não parou mais de passar de uma para outra de forma maratonal. Se é que isso é possível. Ela fazia ser! Fazia assinatura das revistas que tratavam do assunto, assistia na TV tudo o que passava.

O que não dava tempo, gravava para ver depois. Com o advento da internet, virou internauta das mais fissuradas. Se especializou tanto no assunto que se transformou na guru das amigas e colegas de trabalho. Passou a dar consultoria em seu horário de almoço em pleno refeitório. Olhava as marmitas como verdadeira arqueóloga analisando calorias, proteínas, vitaminas e tudo o que faz de uma boa refeição um prato saudável. Muitas moças seguiram seus conselhos à risca e conseguiram bons resultados.

Em pouco tempo ganhou fama, notoriedade, até um blog criou e de lambança, muitos quilos extras. Já beirando os 110 quilos muito bem distribuídos ao redor de seus pneus bem calibrados e de seu pescoço inflado, procurou desesperadamente ajuda médica.

Expôs detalhadamente sua eterna batalha contra o peso e seu conhecimento aplicado que de nada lhe adiantava.

O médico – em silêncio analítico – após uns segundos recomendou tratamento a base de medicação e ao término aconselhou-a:

– Dona Maria das Dor…

– Dorinha, por favor! Eu prefiro.

– Perfeitamente Dorinha, siga minha orientação e aproveite e marque uma consulta com um bom terapeuta.

Se não conhecer ninguém, posso indicar uns três de minha confiança e que já trabalho junto com alguns pacientes.

Com expressão de estranhamento, Dorinha inquiriu o porquê do médico endócrino recomendar um acompanhamento terapêutico afinal, ela não era doida!

– Dorinha, muitas vezes, nosso excesso de peso está ligado diretamente ao emocional que por ene motivos se encontra em desequilíbrio. Se você já seguiu inúmeras dietas e nada conseguiu, pode ser que a chance de seu excesso de peso esteja ligado ao emocional. Não se trata de loucura mas sim de acertas as arestas do suas emoções e de como lidar com elas. Compreende?

– Sim, acho que sim. Doutor, tenho um pouco de medo de lidar com essas coisas mas passe o endereço que prometo marcar.

Após alguns dias em dúvida se ligava ou não, Dorinha respirou fundo e ligou marcando para aquele final de dia mesmo. Ao chegar ao consultório, entrou ressabiada com o que encontraria lá. Em segundos acalmou-se pois o consultório era como tantos outros que já entrara. Silêncio na sala de espera e ao fundo, uma música de Norah Jones tornava o ambiente mais aconchegante. Um som de porta se abrindo e em pouco tempo, surge uma jovem mulher que se posiciona à sua frente e com delicadeza oriental pergunta:

– Maria das Dores?

– Só Dorinha, por favor.

– Perfeito! Dorinha é mais carinhoso e torna nosso primeiro encontro mais tranquilo. Meu nome é Sônia, sou psicanalista da linha yunguiana e a partir de hoje sou toda ouvidos para você. Me acompanhe.

As sessões foram passando juntamente com as semanas, meses, um ano. Algumas delas foram terrivelmente sofridas levando Dorinha a quase desistir da terapia. No entanto, Sônia foi sempre uma mão preciosa estendida à pobre e sofrida mulher. Outras tantas sessões foram leves, engraçadas e assim, pouco a pouco, o equilíbrio foi se estabelecendo.

Vinte e seis de agosto, terça-feira. Dia de mais uma terapia. Dorinha se encontra um pouco ansiosa. Sente que hoje será de alguma forma diferente. A porta se abre e uma voz chama Dorinha, que se levanta pesadamente e some por trás da porta.

– Como passou a semana?

– Mais ou menos. Tenho momentos de leveza permeado de tantos outros que parecem pesar mais que eu.

Sinto dores horríveis pelo corpo. À noite quase não tenho conseguido dormir por conta dessas dores.

Minha irmã mais nova, Maria dos Prazeres, vive rindo de mim dizendo que nossos pais escolheram nossos nomes a dedo. E que personifico muito bem o significado de meu nome. Assim como o dela.

Olhando-a profundamente por alguns segundos, Sônia sorri e diz calmamente:

– Dorinha, ainda vamos trabalhar muito essa sua relação com sua irmã e o significado de seus nomes. Hoje, o que tenho a dizer e que quero muito contar com sua ajuda, é o seguinte: acredito que descobri a origem de sua obesidade.

– Sério mesmo? Descobriu? Vou poder agora emagrecer e me sentir mais leve? Ahh… Graças a Deus! Graças à você. Mas me diz,o que descobriu?

– Nesses meses em que temos nos encontrado semanalmente, tenho formado um verdadeiro mosaico de você e sua vida(familiar, profissional, pessoal) e acredito ter achado um ponto em comum que liga todos.

– Fala Sônia!

– Seu nome, sem dúvida de alguma forma é um peso em você. Tanto que prefere ser chamada por Dorinha, que soa mais leve, mais amistoso. Você seguiu direitinho. Quanto a isso está de parabéns pois demonstra disciplina em tudo o que faz. No entanto, observei que desde sua infância você devora de forma constante um alimento que entope, que incha e que talvez seja o motivo de toda sua gordura: você se alimenta de forma quase instantânea de sapos.

– Como assim? Não entendi? Não costumo comer rãs.

– Não disse rãs Dorinha. Disse sapos. Você é uma tremenda devoradora de sapos. Engole todos. Isso está te fazendo mal. Silêncio absoluto na sala.

Dorinha parece uma estátua não movendo nenhum músculo. Nem mesmo sua respiração se percebe.

Sônia aguarda respeitando o momento de intervir. Somente o tic-tac do relógio se manifesta.

Gradualmente a máscara gélida vai se derretendo e, de pálida, passa a um colorido carmin. Lábios trêmulos e olhar apertado. Um choro manso e quase silencioso começa a brotar até transformar-se num desespero pleno.

Sônia continua em silêncio. Essa desintoxicação se faz necessária para que a paciente descarregue toda essa comilança mal digerida de atitudes que tanto lhe fizeram mal. Muitos de nós, no dia a dia faz dessa dieta certeira, o combustível nefasto para inflar nosso interior, nosso corpo que nada mais é, que reflexo de tudo o que nos faz bem ou mal.

 

Imagem: Fernando Botero

Anúncios

4 comentários sobre “Dieta certeira

    • Olha só…Não sabia desse personagem de Verissimo. Uma falha em minhas leituras pois ainda não li nada dele mas um dia leio. Amigo, acredite: engolir sapos engorda, faz mal e não é uma iguaria gostosa de se engolir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s