Puta pregui

preguiça na praça

Meu estado constante é um só: preguiça. Mas não é qualquer preguiça não.

É a preguiça. Aquela que se esparrama, toma conta de nossa corrente sanguínea, inunda o cérebro, paralisa nosso sistema motor, entorpece os sentidos, adormece a derme, pesa os olhos, susta a respiração. Morre-se em vida.

A preguiça que por excelência nos coloca em processo slow motion ou, como no meu caso, fico lenta por dentro e hiperativa por fora. Alguém aqui já se sentiu assim?

Quanto mais cansada e com preguiça, mais hiperativa fico. Não consigo achar o botão de desliga. É um inferno!

E falando em inferno…Caramba! Fazendo aqui uma leitura em braille pelo meu rosto, captei uns pelinhos indesejáveis no queixo e no buço.

Envelhecer é uma merda mesmo!

Tá chocado com minha linguagem? Ah depois de uma certa idade pode-se tudo e eu me permito. Merda!Merda!Merda!

Ai, cansei!

Então, preguicei. Again and again and again. Ever! Always…

Escrevi em inglês por pura preguiça de escrever em português mas como meu inglês é limitado retornei à língua pátria.

Mas voltando a ela, a preguiça, desconfio que já nasci com ela pois minha mãe sempre diz que demorei para nascer. Aposto que era ela já se manifestando no útero e me impedindo de estrear afinal, lá dentro estava quentinho, confortável, silencioso. Sair pra quê?

Demorei tanto a vir ao mundo que, pra se ter uma ideia, era para ser de gêmeos e acabei virando canceriana tamanha a demora em nascer. Não ri não que é a mais pura verdade.

Toda manhã, acordo vou para a cozinha e preparo meu café da manhã. Tudo isso ligada no piloto automático porque meu cérebro ainda não despertou. Tudo pronto, sento-me e fico catatônica, olhando para o nada, sem mover um músculo.

As pessoas conversam entre si e eu ali, só de corpo presente. Não consigo pensar, assimilar a conversa, nada.

Fico presa num limbo entre a realidade sólida e o inconsciente.

Tudo muito nebuloso feito as brumas de Avalon.

Às vezes, pra não ficar tão mal pra mim, jogo a culpa na anemia que tenho desde pequena. Digo que ela é a culpada desse meu jeito devagar quase parando. Só que no fundo sei que não é a anemia a causadora disso tudo.

É ela, a famigerada preguiça que, fominha do jeito que é, toma conta. E eu, fragilizada que sou, deixo-me dominar e embarco nela permitindo que faça ( ou que nada faça) o que quiser de mim. Sou sua eterna refém.

E… Como falava…Ela, a preguiça…

 

Então…Ela voltou com udo…

 

Ai gent  peralá. Dá não…

Chega. Vou ali tirar um cochilo depois volto para acabar

 

Imagem: ai gente, a preguiça me impede de pesquisar a fonte. Sorry!!

 

Anúncios

12 comentários sobre “Puta pregui

  1. Olha, confesso que quase tive preguiça de ler o texto todo… ele foi me arrastando… e essa é uma preguiça ruim: a de não se fazer nem o que se gosta. A outra, é altamente justificável: a de se esquivar de tudo que é obviamente um porre! Essa está perdoada!

  2. Ro, insisto em dizer que vc precisa virar comediante, mulher! Kkkk
    Mas descobri o que temos em comum: somos cancerianas!
    Bem que vc poderia nos descrever através de um post , né? As cancerianas… seria o máximo ser interpretada com seu humor negro, sarcástico, hilário e sincero. #ficadica. E não esquece de dedicar o post a mim, especialmente, OK?
    Bjsss. Feliz 2015!
    Amoooooooo vc kkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s