Desencontros, desencantos e descrenças

mulher-escrevendo_3_thumb[2]

O crente crê sem ver,

O cientista só crê se ver,

O poeta sente o que não vê,

Eu te sinto o tempo todo mas,

não te creio.

A vida tem desses desencontros, desencantos

e descrenças.

Não desisto.

Um dia ainda verei o crente crendo no que é real,

o cientista crendo naquilo que a matéria não mostra,

o poeta não só sentindo o que não vê

mas vivenciando toda sua fantasia e eu,

sentindo você pleno ao meu lado e crendo em seu amor

tão falado mas vagamente sentido.

E falando em sentido, isso tudo que divaguei

Faz à você algum sentido?

Não importa! O que vale é que isso tudo

coube bonito aqui,

no poema.

Anúncios

7 comentários sobre “Desencontros, desencantos e descrenças

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s