Perdida estou

mulher sombra Eric kellermanOnde foi que me perdi?

Da família, dos amigos, da vida.

De mim.

Em que ponto do caminho desviei da rota certa?

E qual é esse que percorro?

Sigo no escuro tateando, pisando em falso.

O medo fazendo companhia.

A insegurança, a mentira, a manipulação

Fazem parte de minha ação.

Vivo uma grande dramaturgia,

Crio personagens, situações. Invento amores pueris.

Travo conflitos homéricos.

Um dia visto-me de Dama das Camélias,

Noutro banco Joana d’Arc.

Às vezes incorporo a melindrosa Zelda, noutro sofro

feito Camille.

Sou tantas mulheres dentro de uma só.

Perdi de mim mesma.

Agora percorro corredores,

Grito nesses labirintos, horrores,

de ter-me dissociado de mim.

Diz você, terapeuta:

Onde foi que

me perdi?